Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


...

09.02.16

Dai-me por amigos e vizinhos homens selvagens, e não gente civilizada. A brutalidade do selvagem não é senão um pálido sinal da ferocidade terrível que preside à sociabilidade entre os homens e entre os amantes,

Gosto de presenciar os animais domésticos a reafirmarem os seus direitos nativos - um sinal de que não perderam completamente os seus hábitos selvagens e o vigor original; por exemplo, quando vejo uma vaca do meu vizinho escapar-se do pasto no começo da Primavera e nadar corajosamente pelo rio, um caudal frio e cinzento, com vinte e cinco ou trinta varas de largura, avolumado pela neve derretida - é a travessia do búfalo no Mississípi. Esta proeza confere a meu ver uma certa dignidade ao rebanho. As sementes do instinto são preservadas por tempo indeterminado sob o espesso couro dos cavalos e do gado, quais sementes nas entranhas da terra.

Henry David Thoreau, Caminhada 

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

09.02.16

Os hindus imaginavam que a Terra estava assente num elefante, que por sua vez jazia sobre uma tartaruga, e esta sobre uma serpente; e, embora seja talvez uma coincidência irrelevante, não será descabido referir a este propósito que um fóssil de tartaruga suficientemente grande para suportar um elefante foi recentemente descoberto na Ásia. Confesso que sou parcial no que toca a estas extravagantes fantasias, que transcendem a ordem do tempo e da evolução. São as mais sublimes recriações do intelecto. A perdiz adora ervilhas, mas não aquelas com que há-de ir parar ao prato.

Henry David Thoreau, Caminhada

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

09.02.16

A mitologia é a colheita do Novo Mundo antes de se ter exaurido o seu solo, antes de a fantasia e a imaginação serem afectadas por pragas, e ainda hoje é fértil, onde quer que o seu o seu vigor se mantenha intacto. Todas as outras literaturas resistem apenas como o olmo sobranceiro às nossas casas; mas a mitologia é como um grande dragoeiro das Antilhas, tão velho como a humanidade e, quer assim seja quer não, resistirá tempo igual, pois é a decadência de outras literaturas que forma o solo em que a literatura floresce.

Henry David Thoreau, Caminhada

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

05.02.16

Quando quero distrair-me, procuro o bosque mais sombrio, o mais cerrado e interminável e, aos olhos de qualquer cidadão, o mais medonho. Entro num pântano como se fosse um local sagrado - um sanctum sanctorum - É nele que se encontram a força e a essência da Natureza. O bosque selvagem cobre a terra virgem - e este mesmo solo é bom para os homens e para as árvores. A saúde do homem requer tantas jeiras de prado para a sua preservação como a sua quinta exige montes de esterco. Existem nelas os fortes alimentos do que se nutre. Uma cidade é salva não tanto pelos seus honestos habitantes, mas pelos bosques e pântanos que a rodeiam. Uma cidade onde uma sobranceira floresta primitiva ondula e onde outra floresta primitiva se decompõe no subsolo tem condições para produzir não só cereais e batatas, mas também poetas e filósofos para as gerações vindouras. Em semelhante solo cresceram Homero, Confúcio e outros que tais, e é dessa natureza selvagem que proveio o Reformador que comia gafanhotos e mel silvestre.

Henry David Thoreau, Caminhada

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

05.02.16

A vida harmoniza-se com a terra selvagem. O mais vivo é o mais selvagem. Como o selvagem ainda não se rendeu ao homem, a terra retempera-o. Quem avança incessantemente e nunca descansa dos seus afazeres, quem se desenvolve depressa e exige coisas infinitas à vida encontra-se  eternamente numa nova terra ou numa zona selvagem, rodeado pela matéria-prima da vida. É como se trepasse aos troncos derrubados das árvores da floresta primitiva.

Para mim, a esperança e o futuro não residem nos campos relvados nem nas terras de cultivo, nas cidades nem nas vilas, mas nos impenetráveis pântanos de solo instável.

Henry David Thoreau, Caminhada

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

05.02.16

Porque será tão difícil por vezes determinar um percurso a seguir? Creio que a natureza encerra um subtil magnetismo que, se inconscientemente nos rendermos a ele, dará um rumo aos nossos passos. Não nos é indiferente a direcção que seguimos. Existe um caminho certo; mas somos demasiado propensos, por estupidez ou distracção, a seguir o caminho errado. De bom grado seguiríamos um caminho que nunca antes percorrêramos neste mundo, um perfeito símbolo do percurso que nos aprazeria percorrer num mundo ideal e interior; e, por vezes, é-nos sem dúvida difícil escolher um rumo, uma vez que ainda não temos dele uma noção clara.

Henry David Thoreau, Caminhada

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

05.02.16

"A palavra [vila] deriva do termo latino villa, que se combinou com via, «caminho», ou, num tempo mais antigo, com as palavras ved e vella, que Varrão diz derivarem de veho, «transportar», pois a villa era o local para onde tudo se levava e do qual tudo se trazia. Daqueles que se dedicavam ao transporte de animais se dizia vellaturam facere. Daqui deriva também a palavra latina vilis e a actual «vil», e também «vilão», o que indica bem a que tipo de degenerescência se sujeitam os habitantes das vilas. Sem nunca viajarem, fatigam-nos os périplos dos viajantes que chegam e partem, atravessando a vila."

Henry David Thoreau, Caminhada

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

05.02.16

Hoje em dia, quase todos os supostos progressos do homem, tais como a construção de casas, a desflorestação e o abate de grandes árvores, deformam simplesmente a paisagem e tornam-na cada vez mais insípida e vulgar. Quem dera houvesse um povo que queimasse as vedações e que conservasse intacta a floresta!

Henry David Thoreau, Caminhada

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

05.02.16

As mãos calejadas do homem do campo conhecem melhor do que os lânguidos de um ocioso, os requintados tecidos do amor-próprio e do heroísmo, cujo toque arrebata o coração. É mero sentimentalismo o que quem dorme de dia e se pensa alvo e puro, avesso à experiência que tisna e caleja.

Henry David Thoreau, Caminhada

Autoria e outros dados (tags, etc)



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Mais sobre mim

foto do autor